A Fugitiva

1/06/2014

        

          De todos os sintomas que ela sabia que viria a conhecer, este era o mais indesejável. Ela sabia que quando o visse e ele caminhasse em sua direção com aquele sorriso, o sorriso pelo o qual ela se apaixonou, ela não seria capaz de se mover. Não seria capaz porque simplesmente seu corpo não obedeceria, ela também sabia que a sua mente traidora iria fazer o trabalho reverso, embolando seus pensamentos. E era por isso que ela fugia dele todos os dias, ela fugia do solavanco acelerado de seu coração quando ele dirigia a palavra a ela, fugia do formigamento prazeroso que o simples toque dele a proporcionava, fugia da detestável gagueira temporária que a atingia. Mas por mais insigne corredora que ela fosse ela  sabia que nunca conseguiria fugir dele, por que sua mente decidiram contrariá-la com afinco. Ela sabia que deveria lutar, que deveria tentar ao menos, por que no momento que seus olhos se encontrassem ela se renderia. Ela se renderia a ele, seu orgulho e toda vontade de resistir seria exaurida de seu corpo no momento que seu sorriso fosse visto, e todo o seu esforço para construir barreiras ao redor de seu mundo estável iriam ruir tão depressa como a sua capacidade de resistência.

You Might Also Like

2 comentários

  1. Amei o texto, me identifiquei com ele :)
    Lindo seu layout, apaixonei kk
    bjos

    http://apenasleiteepimenta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, adorei.
    http://theworldoflena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Google+ Followers

Instagram

Apoio!

Subscribe